Sozinho a desenhar


Posto 4961

Posted in Papel por Hugo Torres em Setembro 29, 2005

Sou o número 4961. E não tenho dinheiro. Nenhum. Nem um. Arroto o vazio da data, ao lado. Sento-me e enfrento uma mesa cheia de um nada preto, com nada por cima, por baixo. Cheia. De pessoas à volta, em jeito de fogueira.
Pego nada. Bebo. Às vezes engasgo-me de trago grande. O costume não garante vida, ou o desprezo aos grandes e vazios tragos de nada. Consumo luzes, música e palavras no ar, no papel.
Nenhum. Nem um dinheiro. E se deixar de ser número, tenho de rever tudo isto.

Posted in Aforismos por Hugo Torres em Setembro 27, 2005

O social é a magia da palavra.

Calcanhar

Posted in Papel por Hugo Torres em Setembro 4, 2005

Faz anos: olho para trás sem lhe saber pousar as mãos. Atiçam-me, os mortos. Estalam-me os dedos: és a seguir. Todos os corações voltam a nascer, estilhaçando-se em indecifráveis pedaços, pela incontável vez.

– Não vos amo. Mais. Saiam-me dos verdes! Ou agarro-vos os tomates – que não os têm – e faço-vos engolir sapos salgados.

O mar é um. Mas a gota daqui está muito longe daquela outra, além. Havia de ser regra. O gelo.