Sozinho a desenhar


desertificado, cansado

Posted in Papel por Hugo Torres em Julho 18, 2006

As pernas encontravam o ar com a pressa dos feriados.
Pessoas a olharem-se serenamente, entre barulhos e murmúrios, com os seus perfumes caros e requintados demais para o nariz humano. Tecidos de muitas cores, luzes agarradas. Um disparo no caminho para qualquer lado que os leve à morte, que os esqueça. Mesmo os enormes seios que respiram pelo decote. Do outro lado, uma bandelete a pontificar as finas pernas de ganga. Ou uma gravata empertigada que fuma muda e compulsivamente.

Daqui debaixo, no chão, nem o forte odor do café me demove os olhos do mundo. De onde também acabarei por me ir embora. Com os ratos.

Anúncios

desintegrado, apaixonado

Posted in Pauta por Hugo Torres em Julho 4, 2006

Where, Oh where have you been my love?
Where, Oh where can you be?
It’s been so long, since the moon has gone.
And Oh what a wreck you’ve made me.

Are you there over the ocean?
Are you there, up in the sky?
Until the return of my love
This lullabye

My Hope is on the horizon
Every face, it’s your eyes I can see
I plead, I pray through each night and day
Our Embrace is only a dream.

And as sure as days come from moments
Each hour becomes a life’s time
When she’d left, I’d only begun this lullabye

This Lullabye, Queens of The Stone Age

* imagem: Mark Lanegan, by Rhys Cooper