Sozinho a desenhar


chapa sensível dos aliados #04

Posted in Película,Sugestão por Hugo Torres em Janeiro 31, 2007

«Foi a primeira e única vez que estive diante da sua campa.» (Bernhard Schlink)

violoncelo_by_carlos_moreira.jpg

Violoncelo, Carlos Moreira

Nota: segunda referência: Sobreposição.

#01: Elói Faria; #02: Miguel Ferreira.; #03: Paulo Gomes.

escandecer

Posted in Léxico por Hugo Torres em Janeiro 31, 2007

do Lat. excandescere

v. tr.,
pôr em brasa, ao rubro;
fig.,
excitar, entusiasmar;
v. int. e refl.,
pôr-se em brasa;
entusiasmar-se.

(Priberam Informática – Língua Portuguesa On-Line)

história trágica com final feliz

Posted in Película,Sugestão por Hugo Torres em Janeiro 29, 2007

São 7’46” das mais bonitas gravuras em movimento: a já famigerada e muito premiada História Trágica com Final Feliz, das mãos de Regina Pessoa, é uma belíssima curta de animação. Tive oportunidade de a ver na exposição Animar 2, na Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, e está patente até 25 de Março. Aconselho mais que vivamente. Porque é delicioso quando se arranca para um filme com a deliciosa voz de Manuela Azevedo (Clã) a narrar. Começa assim:

«Era uma vez uma menina cujo coração batia rápido que o das outras pessoas. Isso incomodava toda a gente, por causa do barulho.»

historia_tragica_com_final_feliz.gif

(ver versão sem narração, claramente desaconselhada)

Nesta segunda edição da Animar, podem ainda ser vistas as curtas de animação Stuart, de Zepe, e Selo ou Não Sê-lo, de Isabel Aboim Inglez; o clip de animação Bad Mirror (The Vicious Five), com a marca de diversos artistas; e ainda o ensaio cinematográfico de índole dadaísta Fast Film, de Virgil Widrich. Quem puder, não perca.

chapa sensível dos aliados #03

Posted in Película,Sugestão por Hugo Torres em Janeiro 29, 2007

«Foi a primeira e única vez que estive diante da sua campa.» (Bernhard Schlink)

andorra-paulo_gomes.jpg

Vall d’Incles – Estany de L’Isla #13, Paulo Gomes

Nota: segunda referência: Engolasters – Escaldes (aqui).

#01: Elói Faria; #02: Miguel Ferreira.

alfurja

Posted in Léxico por Hugo Torres em Janeiro 29, 2007

do Ár. alfurja, fenda

s. f.,
viela de despejo;
saguão;
esterqueira;
antro.

(Priberam Informática – Língua Portuguesa On-Line)

novas leituras

Posted in Post-it por Hugo Torres em Janeiro 28, 2007

camus.jpgDecidi-me a roubá-lo. Afinal, estava para acontecer-lhe um fim-de-semana sozinho, desterrado numa prateleira – um campo de concentração de livros, se preferirem. Foi um prenda de há dias dela para ele. E eu subverti o laço. Agora, foi meu primeiro.
A Queda (1956), do argelino Albert Camus, Prémio Nobel da Literatura em 1957, é uma fatia literária de corrente existencialista. Não posso dizer que me tenha arrebatado. Mas foram, com certeza, umas horas bem passadas. Deixo-vos dois apontamentos:

«Paris é uma autêntica ilusão de óptica, um soberbo cenário habitado por quatro milhões de silhuetas. Perto de cinco milhões, no último recenseamento? Está bem, devem ter feito meninos. Não me admiro. Sempre me pareceu que os nossos concidadãos tinham duas paixões: as ideias e a fornicação. A torto e a direito, para assim dizer. De resto, não os condenemos; são os únicos, é assim toda a Europa. Cismo, por vezes, no que dirão de nós os futuros historiadores. Bastar-lhes-á uma frase para definir o homem moderno: fornicava e lia jornais. Depois desta definição, ouso dizê-lo, o assunto ficará esgotado.»

«Deliciosa casa, não acha? As duas cabeças que vê acolá são de escravos negros. Uma tabuleta. A casa pertencia a um traficante de escravos. Ah! não se escondia o jogo, nesse tempo! Havia desassombro, dizia-se: «Aí tem, a casa é minha, faço tráfico de escravos, vendo carne negra». Imagina alguém, hoje em dia, a tornar público que é esse o seu ofício? Que escândalo! Estou a ouvir os meus confrades parisienses. É que eles são irredutíveis nessa questão, não hesitariam em lançar dois ou três manifestos, talvez mais ainda! Pensando bem, eu juntaria a minha assinatura à deles. A escravatura, ah, isso não, nós somos contra! Que se seja constrangido a instalá-la em sua casa, ou nas fábricas, vá lá, está na ordem das coisas, mas gabar-se disso é o cúmulo.»

«E então? Então a única utilidade de Deus seria garantir a inocência e eu veria antes a religião como uma grande empresa de lavandaria, o que aliás foi, mas por breve tempo, durante trê precisos anos, e não se chamava religião. Depois, falta o sabão, temos o nariz sujo e assoamo-nos mutuamente. Todos maus alunos, todos castigados, escarremos em cima e zás! Para o «desconforto»! É ver quem escarra primeiro, eis tudo. Vou dizer-lhe um segredo, meu caro. Não espere pelo Juízo Final. Realiza-se todos os dias.»

chapa sensível dos aliados #02

Posted in Película,Sugestão por Hugo Torres em Janeiro 28, 2007

Com esta segunda edição, mato dois coelhos de cajadada única: a fotografia prometida e mais uma alusão aos excelentes Sizo.

«Foi a primeira e única vez que estive diante da sua campa.» (Bernhard Schlink)

Joao Guedes from Sizo, Miguel Ferreira

Nota: segunda referência: Wanting To Fly.

#01: Elói Faria.

vilegiatura

Posted in Léxico por Hugo Torres em Janeiro 28, 2007

do It. villegiatura

s. f.,
temporada de veraneio;
digressão recreativa, com certa demora em alguma ou algumas estâncias;
veraneio.

(Priberam Informática – Língua Portuguesa On-Line)

chapa sensível dos aliados #01

Posted in Película,Sugestão por Hugo Torres em Janeiro 26, 2007

Depois da saga James Nachtwey ter chegado ante-ontem ao fim, precisava-se de uma nova rubrica. Eis que a encontrei, entre amigos, de novo centrada na fotografia.
Serão quatro posts, quatro amigos, quatro sugestões, quatro futuros. A frase que as acompanha será a que está imediatamente abaixo:

«Foi a primeira e única vez que estive diante da sua campa.» (Bernhard Schlink)

O Pequeno Aprendiz, Elói Faria

Nota: gostaria de referenciar ainda Souvenir, que me pareceu acabadinha de sair do cinema. do bom.

briquitar

Posted in Léxico por Hugo Torres em Janeiro 26, 2007

v. int., Brasil,

lidar, ocupar-se com uma e outra coisa;
biscatar;
entreter-se com certos trabalhos;
penar em coisas de pouca importância;
mourejar.

(Priberam Informática – Língua Portuguesa On-Line)

Página seguinte »