Sozinho a desenhar


arte sem ponteiros

Posted in Post-it por Hugo Torres em Março 23, 2007

«Actualmente a História da Arte não se faz com nomes, mas sem nomes. Ninguém é intérprete do seu tempo. E o tempo, este nosso tempo é homogéneo e global, tudo contém tudo e o seu contrário. A força de contestação do surrealismo e a inquietação pelo enigma que ele sugere renova incansavelmente o revivalismo das suas representações e conteúdos, sem deixar de manter a fragilidade e quase indigência da eficácia desse recurso na sociedade contemporânea.

(…) 

Esse hiato de tempo, essa suspensão do juízo, que produzem em nós amálgamas de realidade e de desejo, de medo e euforia, frente a certas representações, explicaram todas as teorias que atribuíam ao artista as qualidades metafísicas do génio e da aura que os fazia intérpretes do seu tempo em mudança. Que os fazia profetas do futuro.

Não temos já, com a expansão do tempo presente, com a diminuição brutal do espaço entre as coisas e os homens, a noção do devir do tempo, deixou de haver passado e futuro, só um presente que vai do mesmo para o mesmo. O artista não é profeta de nada, apenas se dirige – se pode dirigir – a cada uma das consciências individuais, que, ao que se diz, circulam com indiferença de virtualidade para virtualidade.»

[em Lemos, Fernando (2002). A fotografia surrealista. Porto: Mimesis]

Anúncios

Uma resposta to 'arte sem ponteiros'

Subscribe to comments with RSS ou TrackBack to 'arte sem ponteiros'.

  1. luana santos said,

    Inquietante, não é, esta consciência da realidade redutora que nos sufoca, nos afoga em informação. Hoje sinto-o particularmente.Não consigo parar, não posso parar…É fim de semana mas tenho de frequentar amanhã uma A. de Formação, tenho de fazer a mala mas não posso partir realmente para a tranquilidade do descanso , do mero prazer de respirar…Grande anseio meu é, ultimamente,deitar me na relva, ouvir os sons da natureza…
    Não temos espaço(tempo) para o espaço.Somos, com frequência, como uma frondosa árvore que cresce pra dentro, sem possibilidade de se reconhecer ou ao outro,quanto mais, perpetuar(-se)!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: