Sozinho a desenhar


não é meu, mas também não sai cá de casa

Posted in Tela por Hugo Torres em Novembro 23, 2007

Portugal tem um Tintoretto: é cada vez mais consensual que a tela A Adoração dos Reis Magos sita no mosteiro de Singeverga, em Santo Tirso, é um verdadeiro Jacopo Robusti (1518-1594). Mas Portugal tem mais arte veneziana, com o peso dos séculos a acenar que sim à mestria do autor. Tem um Giovanni Tiepolo (1696-1770).

Titulado Deposição de Cristo no Túmulo, a obra está classificada desde 1939 e, desde essa mesma altura, impedida de ser adquirida por um comprador estrangeiro. E é desde 1939 que o Estado português tem direito de opção sobre esta «pintura interessantíssima», como a classifica o director do Instituto dos Museus e da Conservação, Manuel Bairrão Oleiro, ao Público. Em Maio de 2003, o então ministro da Cultura, Pedro Roseta, tentou mesmo transformá-la em bem de interesse nacional. O Supremo Tribunal Administrativo não permitiu.

Deposição de Cristo no Túmulo (na imagem abaixo) vai a leilão na próxima quinta-feira, 29, pelas mãos da Leiria & Nascimento. A base de licitação é de um milhão e 250 mil euros. (A corrida pode ser, de resto, acompanhada online.) No mesmo artigo do Público, a jornalista Inês Nadais questiona a inércia estatal: «É incongruente a ministra da Cultura usar a escassez de obras de referência nas colecções nacionais para justificar investimentos como o do Hermitage e agora desperdiçar a oportunidade de enriquecer essas colecções com esta compra?» A própria responde: «Eventualmente.» Eu, aqui, posso ser mais taxativo: sim.

Escusado será dizer que a interdição do leilão ao mercado internacional vai baixar significativamente o valor da obra. Pedro Dias, do Instituto de História de Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, defende que «se o Estado decidir que não deve adquirir o quadro, também não deve impedir a sua saída para o estrangeiro.» E acrescenta, ao Público, com boa dose de razão: «ou o quadro tem interesse e o Estado vai ao fundo do baú para o licitar (e o paga honradamente, e a pronto, aos preços do mercado internacional sem arranjar subterfúgios para o desvalorizar), ou não tem interesse.»

Pois bem. Comprem-no. Prescindo das árvores de-Natal-maiores-da-Europa pelos anos que forem necessários.

tiepolo-deposicao_de_cristo_no_tumulo.jpg

Anúncios

2 Respostas to 'não é meu, mas também não sai cá de casa'

Subscribe to comments with RSS ou TrackBack to 'não é meu, mas também não sai cá de casa'.


  1. […] Tela por Hugo Torres no Novembro 30, 2007 O Estado português exerceu o direito de opção sobre Deposição de Cristo no Túmulo, de Giovanni Tiepolo. Foi ontem, por um milhão e meio de euros, preço base de licitação da […]


  2. Se gosta do Museu Nacional de Arte Antiga,
    torne-se Amigo!

    Increva-se no Grupo dos Amigos do Museu Nacional de Arte Antiga !

    Visite-nos!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: