Sozinho a desenhar


Tiepolo fica, obrigado

Posted in Tela por Hugo Torres em Novembro 30, 2007

O Estado português exerceu o direito de opção sobre Deposição de Cristo no Túmulo, de Giovanni Tiepolo. Foi ontem, por um milhão e meio de euros, preço base de licitação da obra que chegou mesmo a ir a leilão – sem, contudo, encontrar comprador interessado em manter o quadro em Portugal. Encaminha-se agora para o Museu Nacional de Arte Antiga, onde poderá ser visitado pelo público.

Sem mais conversa: muito bem e obrigado.

não é meu, mas também não sai cá de casa

Posted in Tela por Hugo Torres em Novembro 23, 2007

Portugal tem um Tintoretto: é cada vez mais consensual que a tela A Adoração dos Reis Magos sita no mosteiro de Singeverga, em Santo Tirso, é um verdadeiro Jacopo Robusti (1518-1594). Mas Portugal tem mais arte veneziana, com o peso dos séculos a acenar que sim à mestria do autor. Tem um Giovanni Tiepolo (1696-1770).

Titulado Deposição de Cristo no Túmulo, a obra está classificada desde 1939 e, desde essa mesma altura, impedida de ser adquirida por um comprador estrangeiro. E é desde 1939 que o Estado português tem direito de opção sobre esta «pintura interessantíssima», como a classifica o director do Instituto dos Museus e da Conservação, Manuel Bairrão Oleiro, ao Público. Em Maio de 2003, o então ministro da Cultura, Pedro Roseta, tentou mesmo transformá-la em bem de interesse nacional. O Supremo Tribunal Administrativo não permitiu.

Deposição de Cristo no Túmulo (na imagem abaixo) vai a leilão na próxima quinta-feira, 29, pelas mãos da Leiria & Nascimento. A base de licitação é de um milhão e 250 mil euros. (A corrida pode ser, de resto, acompanhada online.) No mesmo artigo do Público, a jornalista Inês Nadais questiona a inércia estatal: «É incongruente a ministra da Cultura usar a escassez de obras de referência nas colecções nacionais para justificar investimentos como o do Hermitage e agora desperdiçar a oportunidade de enriquecer essas colecções com esta compra?» A própria responde: «Eventualmente.» Eu, aqui, posso ser mais taxativo: sim.

Escusado será dizer que a interdição do leilão ao mercado internacional vai baixar significativamente o valor da obra. Pedro Dias, do Instituto de História de Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, defende que «se o Estado decidir que não deve adquirir o quadro, também não deve impedir a sua saída para o estrangeiro.» E acrescenta, ao Público, com boa dose de razão: «ou o quadro tem interesse e o Estado vai ao fundo do baú para o licitar (e o paga honradamente, e a pronto, aos preços do mercado internacional sem arranjar subterfúgios para o desvalorizar), ou não tem interesse.»

Pois bem. Comprem-no. Prescindo das árvores de-Natal-maiores-da-Europa pelos anos que forem necessários.

tiepolo-deposicao_de_cristo_no_tumulo.jpg

se eu te der uma chiquilin, dás-me um beijinho?

Posted in Media,Tela por Hugo Torres em Agosto 7, 2007

BCP, SL Benfica, Museu Berardo. Tomou este caminho a conversa entre o Comendador do momento e o jornalista Mário Crespo, que acabou há instantes no Jornal das 9, da Sic Notícias.

Não me vou atirar aos dois primeiros assuntos, mas o último – que me é bastante caro: penso que o madeirense foi tratado como um lorde, por um Governo socialista – abraçou-me um esgar à cara. É que o man in black agradeceu o excelente «divulgação» feita pelos media ao seu museu, que de outra maneira não dispunha de recursos para grandes campanhas para atingir os actuais números; Crespo respondeu que «os acontecimentos valem por si» (?). Pensei: o calmo genocídio no Darfur valeu durante bastante tempo a atenção de uma única pessoa num único espaço público (dos grandes media, digo) – o New York Times. Ó, Mário…

O meu pai não percebeu o porquê da minha cara de gozo.

Manifesto Anti-Dantas

Posted in Post-it,Tela por Hugo Torres em Maio 31, 2007

Esta chegou-me embrulhado nas mãos da menina Filipa. E a partilha é inevitável. A voz é do Mário Viegas; o texto de Almada Negreiros, pois claro.

arte & referente, lda.?

Posted in Película,Tela por Hugo Torres em Março 9, 2007

«O movimento surrealista procura o belo onde ninguém o adivinharia, revelando-o como o maravilhoso do insólito e da fealdade, mobilizando uma gramática que se constrói a partir de experiências psicológicas e sócio-culturais do sujeito. As experiências psicológicas são de recente espécie, pois o surrealismo descobrira Freud, os sonhos e o inconsciente. E com tudo isso o automatismo criativo, porque já assim falara Zaratustra, o que conta é esse impulso que “desperta a paixão, o ardor, a chama, a vontade de viver. E os surrealistas, a partir de André Breton, são muito niestzcheanos, lutam contra o preconceito, a convenção, os movimentos e escolas que dominam a arte e a dispõem aos interesses de classes.»

[em Lemos, Fernando (2002). A fotografia surrealista. Porto: Mimesis]

‘By this sword you must know’

Posted in Pauta,Tela por Hugo Torres em Março 6, 2007

Acabo de o apanhar na televisão. É este um excelente exemplo de um videoclip que alia as novas possibilidades tecnológicas à simplicidade e ao conhecimento da cultura e da sua história, nomeadamente do norte-americano Pollock (a propósito, passem ainda aqui). Quanto à banda, os Kasabian, têm aqui um tema bem melhor de qualquer coisa que me lembre deles no concerto no Sudoeste, em 2005 – confesso não ser um seguidor assíduo, quer da banda quer de toda a panóplia de Oasis followers.

 


Shoot The Runner, Kasabian (2006)

Calvin & Hobbes

Posted in Tela por Hugo Torres em Fevereiro 22, 2007

calvin20010402.gif

(in Público, 2 de Abril de 2001)

Calvin & Hobbes

Posted in Tela por Hugo Torres em Fevereiro 12, 2007

calvin20010222.gif

(in Público, 22 de Fevereiro de 2001)

Um dia em Cabul

Posted in Sugestão,Tela por Hugo Torres em Janeiro 18, 2007

cabul.jpg

Manuel Diogo, ‘Um dia em Cabul’

Diálogo de vanguardas

Posted in Sugestão,Tela por Hugo Torres em Janeiro 14, 2007

«a arte caminha e deve caminhar sempre em frente, sempre virgem nas suas manifestações, pois só o virgem é belo»

Amadeo de Souza-Cardoso, ‘Procissão Corpus Cristi’ (1913)

O Rascunho roubou mais uma colaboradora ao mundo. E que bem que ela começou.

Página seguinte »